• Jardim de Homenagem ao Poiarense

  • Capital Universal da Chanfana

Pin It

acidente aereo1

Descerramento de placa no monumento Voo dos Anjos e Missa Campal marcaram cerimónias

O Município de Vila Nova de Poiares e a Força Aérea Portuguesa (FAP) prestaram mais uma justa e sentida homenagem aos oito pilotos aviadores que há 64 anos perderam a vida na Serra do Carvalho, por ocasião dos festejos do Dia da Aviação.

As cerimónias iniciaram nos Paços do Concelho, com a receção ao Sr. Chefe de Estado-Maior da Força Aérea, general Joaquim Borrego, onde numa sessão solene simples, mas carregada de significado, o presidente da Câmara Municipal, João Miguel Henriques, lembrou a importância desta homenagem como «uma forma de manter viva a memória histórica das instituições que cada um de nós representa, e quem não respeita a sua história, não se respeita a si próprio».

Deixou ainda um agradecimento à Associação de especialistas da Força Aérea, entidade que, em articulação com a FAP e a Câmara Municipal, tem tido a responsabilidade de ano após anos, apoiar a organização destas celebrações envolvendo muitos dos seus associados, referenciando em particular a memória «do nosso amigo José Andrade, mais conhecido por Zeca Andrade, responsável pelo núcleo de Coimbra da associação de especialistas da força aérea», recordando-o como alguém que «nos últimos anos, esteve sempre presente na preparação e organização destas cerimónias».

Terminada a sessão solene, foi descerrada uma placa alusiva ao acidente no monumento Voo dos Anjos, instalado numa rotunda da Avenida Manuel Carvalho Coelho, por ocasião do 50º aniversário do trágico acidente.

A homenagem prosseguiu como habitualmente com a celebração de uma Missa Campal de Ação de Graças e Sufrágio pelos Mortos da Força Aérea, no local do acidente, na Serra do Carvalho, junto da capela em honra de Nossa Senhora do Ar, erigida pelo município, juntamente com um cruzeiro, para perpetuar a memória dos pilotos que faleceram nesse acidente que ainda permanece como sendo o mais trágico da Força Aérea Portuguesa.

Como já é hábito, foram várias as centenas de pessoas, locais e também de outros concelhos, que se juntaram a estas cerimónias, que contaram com a deposição de algumas coroas de flores no monumento existente no local completando esta homenagem, onde se procura manter viva a memória histórica do acidente ocorrido naquela serra. Entre as várias centenas de pessoas, estavam também alguns familiares diretos dos aviadores que pereceram neste acidente, que sempre fazem questão de estar presentes neste acto de homenagem.

Recorde-se que o trágico acidente aconteceu em 1955, por ocasião dos festejos do Dia da Força Aérea, quando oito dos doze aviões que compunham a formação comandada pelo Capitão Rangel Lima, se despenharam em plena Serra do Carvalho.

acidente aereo2